Linguagens

Níveis

Ajuda ao Vivo Através do Chat

 

Sobre este Site

Bem-vindo ao site eLearning da New Muslims. Este site é para muçulmanos recém-convertidos que desejam aprender sua nova religião de uma maneira fácil e sistemática. As aulas estão organizadas em níveis. Então, primeiro vá para a lição 1 do nível 1. Estude-a e depois faça o seu teste. Quando for aprovado, vá para a lição 2 e assim por diante. Felicidades.

Comece Aqui

É altamente recomendável registrar-se para que suas notas e progresso sejam salvos.  Então, primeiro registre-se aqui, depois comece com a lição 1 no nível 1 e daí em diante passe para a próxima lição. Estude ao seu gosto. Cada vez que retornar a este site, clique no botão “Leve-me onde estava” (disponível apenas para usuários registrados).

Ritos fúnebres (parte 2 de 2)

Descrição: Lavagem, amortalhamento, enterro e condolências.

Por Aisha Stacey (© 2017 IslamReligion.com)

Publicado em 14 Jan 2020 - Última modificação em 03 Jul 2017

Impresso: 2 - Enviado por E-mail: 0 - Vizualizado: 355 (média diária: 1)

Categoria: Lições > Estilo de Vida, Valores Morais e Práticas Islâmicas > Valores Morais e Práticas Gerais


Objetivos

·       Entender o método islâmico de enterrar os mortos.

Termos em árabe

·       Du’aSúplica, oração, pedir a Allah por alguma coisa.

·       QiblahÉ a direção para a qual aquele que está orando deve dirigir-se.

·       Dhikr – (plural: adhkar) lembrança de Allah.

·       Fard Kifayah – Um ato que é obrigatório para toda a comunidade muçulmana e deve ser realizado por pelo menos uma pessoa.

·       Salat ul-Janazah – Oração fúnebre.

·       Takbir – Dizer “Allahu Akbar”.

·       Taslim – A saudação de paz ao final da oração.  

Preparando o corpo para o enterro

O Islam nos deu um conjunto abrangente de instruções para preparar um corpo para o enterro. Lavar o corpo de um crente morto é fard kifayah, o que significa que é uma obrigação coletiva. Se alguém o faz, isso é feito em nome da comunidade muçulmana. Deixar de lavar o corpo não é apenas uma falha dos familiares ou parentes mais próximos; é uma falha para toda a comunidade.

O falecido deve ser lavado por membros do mesmo gênero que sejam próximos da família. Se não houver parente disponível, então devem ser as pessoas mais confiáveis ​​e piedosas presentes. Atualmente, a lavagem do corpo costuma ser deixada para muçulmanos qualificados na seção mortuária de um centro islâmico ou mesquita ou em uma instalação do governo.

A lavagem do crente falecido deve ser realizada de maneira digna, garantindo que o corpo seja sempre manuseado com cuidado e delicadeza. Quem lava o corpo deve ser…

1.     Confiável e, portanto, não falar sobre o que podem ver.

2.     Saber a maneira islâmica de se lavar os mortos.

3.     Não comentar sobre o corpo.

4.     Ser do mesmo gênero que o falecido. Caso seja casado, o cônjuge pode lavá-lo(a). Se o falecido for uma criança, os pais, não importando qual dos dois, podem lavar o corpo.

Amortalhamento

Depois de lavar o corpo do falecido, o corpo deve ser colocado em uma mortalha; uma roupa na qual o muçulmano falecido é enrolado para o enterro. Em alguns lugares, devido às leis de regimento interno, o uso de um caixão geralmente é obrigatório. A mortalha deve ser grande o suficiente para cobrir o corpo inteiro, deve estar limpa e feita de um material branco acessível. Deve-se evitar seda para homens e perfumar a mortalha é permitido.

A oração fúnebre

A oração fúnebre é chamada de Salat ul-Janazah e é fard kifayah. Ou seja, a comunidade muçulmana é obrigada a fazê-la. No entanto, não é mandatório que haja uma congregação, se apenas uma pessoa disser a oração, a obrigação terá sido cumprida. Os muçulmanos jamais devem hesitar em participar desta oração, quer tenham ou não conhecido o falecido ou sua família. Ela é feita para buscar-se perdão e misericórdia para o falecido e todos os muçulmanos. A Salat ul-Janazah deve ser feita fora da mesquita e o corpo deve ser colocado de frente para a pessoa liderando a oração. Suas condições normais são as mesmas, embora a oração difira significantemente. Ela é feita em silêncio, exceto pelo  takbir e o taslim, e não há inclinação nem prostração.  

Enterro

O tempo entre a morte e o enterro deve ser o mais curto possível e, em circunstâncias normais, a pessoa deve ser enterrada na cidade onde viveu e não ser transportada para outra cidade ou país. Após a oração fúnebre, o corpo deve ser transferido para o cemitério islâmico ou para a seção islâmica de algum cemitério. Recomenda-se caminhar rapidamente, e aqueles que acompanham a procissão fúnebre não devem levantar a voz com gritos ou dhikr. Geralmente, as mulheres não podem participar da procissão.

Túmulos e cemitérios islâmicos são caracterizados por sua simplicidade. A tumba deve ser cavada perpendicularmente à qiblah, e o corpo colocado nela do lado direito, também voltado para a qiblah. Depois que o corpo estiver no lugar, uma camada de madeira ou pedras deve ser colocada em cima para evitar o contato entre o corpo e a terra que preencherá o túmulo. Cada pessoa presente coloca três punhados de terra dentro do túmulo.

Pontos a serem lembrados

1.     Não há dhikr especial para recitar

2.     O Alcorão não deve ser recitado no cemitério.

3.     Não existe ensinamento islâmico que indique a colocação de flores, comida, água ou dinheiro na cova para beneficiar o falecido.

4.     Um animal não deve ser abatido antes ou depois do funeral.

É permitido colocar uma pedra ou marca especial para lembrar a localização do túmulo, e após o funeral os parentes do falecido podem permanecer lá para fazer du'a, pois acredita-se que naquele momento o falecido esteja sendo questionado pelos anjos.[1]

Condolências

Oferecer condolências é um ato importante de bondade, implica compartilhar a dor das pessoas afetadas e oferecer-lhes conforto. Não há limite para o tempo em que as condolências podem ser oferecidas, mas as palavras devem ser escolhidas com cuidado e ser gentis, incentivando a paciência e aceitando o decreto de Allah. Ao visitar a casa do enlutado, deve-se permanecer um curto período de tempo, a menos que tenha se oferecido para ajudá-lo em alguma questão e necessite demorar-se. Muitas vezes, amigos e familiares preparam comida aliviando um pouco o fardo da família em luto.

Os estudiosos islâmicos dizem que, se um muçulmano oferece condolências a outro muçulmano, ele deve dizer: "Pertencemos a Allah e a Ele retornaremos". É permitido acrescentar algo semelhante a essa du'a, que o Profeta Muhammad, que a misericórdia e as bênçãos de Deus estejam sobre ele, fez uma vez: “Ó Deus! Perdoe o (nome do falecido), eleve seu status entre as pessoas guiadas e cuide da família que ele deixou para trás. Ó Senhor do universo, perdoe-nos e a ele, conforte-o em seu túmulo e alivie sua estada (no túmulo).”[2]  No caso de oferecer condolências a um não-muçulmano, deve-se dizer: “Pertencemos a Allah e a Ele retornaremos”, e acrescentamos quaisquer formas costumeiras de condolências que estejam livres de conotações religiosas. 

Quando um parente não-muçulmano morre

Um muçulmano pode fazer os preparativos para o funeral de seu parente não-muçulmano, se não houver mais ninguém para cumprir esse dever. Embora seja um assunto de disputa acadêmica, geralmente também é permitido assistir aos seus funerais, desde que você não cometa um ato que seja contra a shariah. É parte de manter boas relações familiares e mostrar aos parentes as melhores maneiras inerentes ao Islam. Não é permitido que um muçulmano peça perdão[3] por seus parentes ou amigos não-muçulmanos falecidos; no entanto, ele deve recorrer a Allah para conforto e esperança em Sua misericórdia. 



Notas de Rodapé:

[1] Abu Dawud

[2] Sahih Muslim

[3] Alcorão 9:113

Teste e Navegação Rápida
Ferramentas da Lição
RuimÓtimo  Avalie
| More
Deixe-nos sua Opinião ou Pergunta

Além disso, você poderá perguntar através do chat ao vivo disponível aqui.