Linguagens

Níveis

Ajuda ao Vivo Através do Chat

 

Sobre este Site

Bem-vindo ao site eLearning da New Muslims. Este site é para muçulmanos recém-convertidos que desejam aprender sua nova religião de uma maneira fácil e sistemática. As aulas estão organizadas em níveis. Então, primeiro vá para a lição 1 do nível 1. Estude-a e depois faça o seu teste. Quando for aprovado, vá para a lição 2 e assim por diante. Felicidades.

Comece Aqui

É altamente recomendável registrar-se para que suas notas e progresso sejam salvos.  Então, primeiro registre-se aqui, depois comece com a lição 1 no nível 1 e daí em diante passe para a próxima lição. Estude ao seu gosto. Cada vez que retornar a este site, clique no botão “Leve-me onde estava” (disponível apenas para usuários registrados).

Shirk e seus tipos (parte 2 de 3)

Descrição: A postura islâmica no que diz respeito à associação de outras divindades com Allah e à atribuição a outros de certos aspectos que são exclusivos e únicos para Ele. Parte 2: continuação das formas maiores de shirk.

Por Imam Mufti

Publicado em 23 Dec 2019 - Última modificação em 25 Jun 2019

Impresso: 8 - Enviado por E-mail: 0 - Vizualizado: 379 (média diária: 1)

Categoria: Lições > Crenças Islâmicas > Unicidade de Deus (Tawhid)


Pré-requisitos

·       Crença em Allah (2 partes).

Objetivos

·       Aprender sobre shirk no direito de Allah ser adorado com exemplos claros.

o   Shirk no amor

o   Shirk nas súplicas

o   Shirk na obediência

o   Diferentes formas de shirk

Termos em árabe

·      Shirk - Palavra que implica associar parceiros a Allah, ou atribuir atributos divinos a outros que não seja Allah, ou acreditar que a fonte de poder, dano e bênçãos vêm de qualquer outro além de Allah.

·       Du’a - Súplica, oração, pedir algo a Allah

Shirk maior: Shirk no direito de Allah ser adorado

Nessa categoria de shirk, os atos de adoração são direcionados a outros que não Allah e a recompensa pela adoração é buscada da criação, em vez do Criador. Rezar, curvar-se e colocar a testa no chão são atos de adoração reservados apenas a Allah.

Então, quando eles embarcam no barco, invocam a Allah, sendo sinceros com Ele, na devoção. E, quando Ele os traz a salvo à terra, ei-los que idolatram.” (Alcorão 29:65)

Exemplos de shirk no direito de Allah ser adorado

(1)  Amar a Allah corretamente é adorá-Lo. Uma forma de shirk maior é dar a alguém uma porção do amor reservado a Allah. Ele é o único amado por Sua própria causa. Duas coisas amadas por si mesmas não podem coexistir em um coração. O amor a Allah é diferente do amor dos pais, cônjuge ou filhos, pois é acoplado a um sentimento de reverência e santidade e leva a pessoa a rezar a Allah, confiar n'Ele, esperar por Sua misericórdia, temer Seu castigo e adorá-Lo sozinho. Amar outros seres como Allah deve ser amado é shirk no amor. Um muçulmano não deve ser apegado a mais nada a um nível em que escravize seu coração. Os corações se apegam ao poder, dinheiro, glamour, mulheres, música, drogas e álcool, para citar alguns. Essas coisas podem se tornar o "deus" na vida de uma pessoa que persegue dia e noite e, depois que consegue o que ama, trabalha duro para agradá-lo. É por isso que o Profeta, que a misericórdia e as bênçãos de Allah estejam sobre ele, disse que um homem que adora o dinheiro sempre será miserável [1] e o Alcorão diz,

“E, dentre os homens, há quem, em vez de Allah, tome semelhantes, em adoração, amando-os como se ama a Allah. E os que crêem são mais veementes no amor de Allah" (Alcorão 2:165)"  

(2)  Shirk na súplica. Primeiro, súplica ou invocação (conhecida como du'a em árabe) faz parte da adoração, como o Profeta, que a misericórdia e as bênçãos de Allah estejam sobre ele, disse:

“A súplica é a essência da oração" (Abu Dawud, Al-Tirmidhi, Ahmad)

Invocar santos mortos, homens justos ou aqueles que estão ausentes e distantes em busca de ajuda e assistência, da forma como Allah deveria ter recebido a oração, é shirk maior. Isso inclui rezar, invocar ou suplicar a uma falsa divindade, profeta, anjo, santo, ídolo ou qualquer coisa além de Allah. Os cristãos rezam a um homem, o Profeta de Allah, Jesus, a quem eles afirmam ter sido Deus encarnado. Os católicos rezam aos santos, anjos e Maria como a "mãe de Deus". Também é shirk rezar ao Profeta Muhammad, que a misericórdia e as bênçãos de Allah estejam sobre ele, ou aos homens santos falecidos, acreditando que podem responder orações, como Allah diz,

“Dize: 'Por certo, foi-me coibido de adorar os que invocais, além de Allah.'” (Alcorão 6:56)

“E não invoques, além de Allah, o que não te beneficia nem te prejudica. Então, se o fizeres, por certo, será, nesse caso, dos injustos.” (Alcorão 10:106)

“Se os convocais, não ouvirão vossa convocação. E, se a ouvissem, não vos atenderiam. E, no Dia da Ressurreição, renegarão vossa idolatria. E ninguém te informa da Verdade como Um Conhecedor.” (Alcorão 35:14)

(3)  Shirk na obediência. Allah é o único governante dos assuntos dos homens. Allah é o Juiz supremo[2], o Juiz absoluto e o Legislador. Ele distingue o certo do errado. Assim como o mundo físico se submete ao seu Senhor, os seres humanos devem se submeter ao Seu ensino moral e religioso, o Senhor que separa o certo do errado para eles. Em outras palavras, somente Allah tem autoridade para fazer leis, determinar atos de adoração, decidir princípios e estabelecer padrões de interação e comportamento humano. Seu é o comando:

“Ora, d'Ele é a criação e a ordem." (7:54)

“Não adorais, em vez de d'Ele, senão nomes de ídolos que nomeastes, vós e vossos pais, dos quais Allah não fez descer comprovação alguma. O julgamento não é senão de Allah. Ele ordenou que não adoreis senão a Ele. Essa é a religião reta, mas a maioria dos homens não sabe.” (Alcorão 12:40)

Obedecer a líderes religiosos em questões de clara desobediência a Allah é uma forma de shirk maior, como diz Allah:

“Tomam (referindo-se aos Judeus e Cristãos) seus rabinos e seus monges por senhores, além de Allah.” (Alcorão 9:31)

Eles fizeram parceiros para Allah não por rezarem diretamente a eles, mas por aceitarem voluntariamente seus rabinos e clérigos, transformando o lícito em ilícito e o ilícito em lícito na religião de Allah. Eles deram a seus homens religiosos a autoridade que Allah tem - para estabelecer a lei divina. Por exemplo, o Papa da Igreja Católica Romana tem autoridade para determinar como Deus deve ser adorado. Ele tem total autoridade para interpretar, mudar e cancelar suas próprias leis e as estabelecidas por papas anteriores, portanto, ele determina o serviço litúrgico e o jejum.

(4) Fazer juramento por outro que não seja Allah.

(5) Sacrificar um animal para venerar ou agradar alguém além de Allah, como um santo.

(6) Andar pelos túmulos dos santos. Curvar-se ou prostrar-se para pessoas ou túmulos.

(7) Temer que outros seres como Allah devam ser temidos em afligir alguém com punição.

(8) Buscar ajuda sobrenatural e ajuda de outros que não Allah, do que eles não são capazes de fornecer, como pedir ajuda a anjos ou santos.

(9) Fazer um 'intermediário' (intercessor) entre si e Allah, rezando ao 'intermediário' e confiando nele.



Notas de Rodapé:

[1] Sahih Al-Bukhari

[2] A existência de Deus comprovada pela existência de um Legislador Supremo é chamada de argumento "ético" pelos teólogos ocidentais.

Teste e Navegação Rápida
Ferramentas da Lição
RuimÓtimo  Avalie
| More
Deixe-nos sua Opinião ou Pergunta

Além disso, você poderá perguntar através do chat ao vivo disponível aqui.